17/04/2020

Investir ou pagar as dívidas: o que fazer?

Às vezes a gente fica com um dinheirinho sobrando: o 13º caiu, a sua tia que estava te devendo pagou, a empresa deu bonificação… E com ele na mão, muita gente se pergunta: devo pagar minhas dívidas ou investir meu dinheiro?

A ideia de investir parece muito interessante, afinal investir é o verdadeiro bolsinho de Fortunatus: é grana que surge igual mágica! E pela lógica, quanto mais dinheiro eu tiver, mais rápido vou quitar minhas dívidas!

Mas segura, porque não é bem por aí! Nesse momento, nós precisamos analisar bem os prós e os contras para ver o que vale mais a pena. 

Mas afinal… Devo pagar as dívidas ou investir?

A resposta é bem fácil, mas vamos por partes!

A primeira coisa que devemos pensar são os juros vs. o rendimento. 

Para valer a pena investir, os juros das suas dívidas devem ser menores que o rendimento do investimento. Mas, infelizmente, isso é uma raridade! Veja só alguns exemplos:

  • Juros do cartão de crédito por atraso: em torno de 14% ao MÊS
  • Juros do crédito especial: em torno de 8% ao MÊS
  • Juros do crédito pessoal: em torno de 4% ao MÊS

* Essas é uma média para o ano de 2020, mas é importante lembrar que varia de banco para banco.

Credo, dá até um arrepio de ler! Mas agora veja a média de taxa de rendimento de alguns investimentos de baixo risco:

  • Tesouro selic: 3.75% ao ANO
  • Poupança: 2.9% ao ANO

Perceba que quando falamos dos juros da sua dívida, eles estavam ao MÊS enquanto o rendimento dos investimentos estavam ao ANO. Ou seja: é muito difícil que algum investimento bata a taxa de juros.

“Ah, mas e se eu deixar as contas para depois, ir investindo e, depois de um tempão, negociar com o banco? Ouvi dizer que dão um descontão!”. Sim, o desconto não é mentira! Mas não é tudo isso não 😟 Geralmente o “desconto” é referente a uma parte dos juros que somaram até a negociação.

Outro ponto que devemos colocar nessa conta é o desgaste físico e mental: as contas aumentando dia a dia, e com elas o desespero, a dor de cabeça e o estresse. Não vale a pena, né?!

Se você ainda não está convencido de que é melhor pagar as dívidas antes, então dá uma olhadinha no conteúdo que preparamos para você sobre as vantagens de se livrar das dívidas! 

Bom, então conseguimos entender que o esquema mesmo é pagar as dívidas antes de investir!

Mas e agora?! Por onde começo?

Essa é a hora que você abre a sua planilha ou junta todos os boletos em cima da mesa e faz uma lista: coloque todas as dívidas, o valor delas e a taxa de juros de cada uma. 

Depois: Priorize! A ordem das dívidas que você paga influencia, e muito. As primeiras dívidas que você deve pagar são as mais caras. Mas as mais caras não são as de maior valor, mas sim a com a maior taxa de juros. São elas que, a cada dia, vão passar a custar mais caro ainda para você.

E aí é só direcionar seus esforços, e uma a uma elas vão deixando de fazer parte do pesadelo.  Você também pode fazer uma renda extra com Uber e Rappi, revendendo produtos, fazendo hora extra… Tem um mundo de opções!

Beleza, paguei minhas dívidas! Agora posso investir?

Bom, a primeira coisa que você deve fazer depois de quitar suas dívidas é compor uma reserva de emergência: cerca de 3 a 6 meses do seu custo de vida. Mas faz aquele esforcinho para fazer uma reserva de 6 meses, combinado? Assim você pode dormir muito mais tranquilo!

A segunda coisa é: guarde dinheiro. Separe pelo menos 10% do seu salário, logo no início no mês. REPITO: antes de gastar, já separe esse dinheiro. Quando fazemos assim, não chegamos lá pelo dia 30 e soltamos aquela desculpa: “nossa, mas não sobrou nada!”. 

Tem várias ferramentas legais que ajudam você com essa missão! 

Por fim, use esse dinheiro guardado para investir. Existem vários investimentos por aí, para todos os gostos: mais conservadores, mais arriscados, em cima do muro… Agora é hora de estudar para fazer a melhor escolha!

Se você está seguindo essas dicas, conta aqui nos comentários como está sendo!

Gostou desse conteúdo? No nosso blog tem vários outros para ajudar você a organizar a sua vida financeira 😉

QuiteJá

Uma plataforma que nasceu para resolver suas pendências financeiras de maneira segura e sem burocracia. Tem alguma dúvida? Converse com a gente nos comentários!

Posts Relacionados

Empréstimo pessoal: como e quando usar?
QuiteJá | 22/04/2020
Como deixar o aluguel sem complicações
QuiteJá | 17/04/2020
Quer se casar? Veja como não ficar endividado com seu sonho!
QuiteJá | 17/04/2020

Deixe o seu comentário!

Ir para o Topo